1

Respondeu mais Eliú, dizendo:

2

Tens por direito dizeres: Maior é a minha justiça do que a de Deus?

3

Porque disseste: De que me serviria? Que proveito tiraria mais do que do meu pecado?

4

Eu te darei resposta, a ti e aos teus amigos contigo.

5

Atenta para os céus, e vê; e contempla as mais altas nuvens, que são mais altas do que tu.

6

Se pecares, que efetuarás contra ele? Se as tuas transgressões se multiplicarem, que lhe farás?

7

Se fores justo, que lhe darás, ou que receberá ele da tua mão?

8

A tua impiedade faria mal a outro tal como tu; e a tua justiça aproveitaria ao filho do homem.

9

Por causa das muitas opressões os homens clamam por causa do braço dos grandes.

10

Porém ninguém diz: Onde está Deus que me criou, que dá salmos durante a noite;

11

Que nos ensina mais do que aos animais da terra e nos faz mais sábios do que as aves dos céus?

12

Clamam, porém ele não responde, por causa da arrogância dos maus.

13

Certo é que Deus não ouvirá a vaidade, nem atentará para ela o Todo-Poderoso.

14

E quanto ao que disseste, que o não verás, juízo há perante ele; por isso espera nele.

15

Mas agora, porque a sua ira ainda não se exerce, nem grandemente considera a arrogância,

16

Logo Jó em vão abre a sua boca, e sem ciência multiplica palavras.