1

Dêem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura para sempre.

2

Assim o digam os que o Senhor resgatou, os que livrou das mãos do adversário,

3

e reuniu de outras terras, do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul.

4

Perambularam pelo deserto e por terras áridas sem encontrar cidade habitada.

5

Estavam famintos e sedentos; suas vidas iam-se esvaindo.

6

Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os livrou da tribulação em que se encontravam

7

e os conduziu por caminho seguro a uma cidade habitada.

8

Que eles dêem graças ao Senhor por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens,

9

porque ele sacia o sedento e satisfaz plenamente o faminto.

10

Assentaram-se nas trevas e na sombra mortal, aflitos, acorrentados,

11

pois se rebelaram contra as palavras de Deus e desprezaram os desígnios do Altíssimo.

12

Por isso ele os sujeitou a trabalhos pesados; eles tropeçaram, e não houve quem os ajudasse.

13

Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e eles os salvou da tribulação em que se encontravam.

14

Ele os tirou das trevas e da sombra mortal, e quebrou as correntes que os prendiam.

15

Que eles dêem graças ao Senhor, por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens,

16

porque despedaçou as portas de bronze e rompeu as trancas de ferro.

17

Tornaram-se tolos por causa dos seus caminhos rebeldes, e sofreram por causa das suas maldades.

18

Sentiram repugnância por toda comida e chegaram perto das portas da morte.

19

Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os salvou da tribulação em que se encontravam.

20

Ele enviou a sua palavra e os curou, e os livrou da morte.

21

Que eles dêem graças ao Senhor, por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens.

22

Que eles ofereçam sacrifícios de ação de graças e anunciem as suas obras com cânticos de alegria.

23

Fizeram-se ao mar em navios, para negócios na imensidão das águas,

24

e viram as obras do Senhor, as suas maravilhas nas profundezas.

25

Deus falou e provocou um vendaval que levantava as ondas.

26

Subiam aos céus e desciam aos abismos; diante de tal perigo, perderam a coragem.

27

Cambaleavam, tontos como bêbados, e toda a sua habilidade foi inútil.

28

Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os tirou da tribulação em que se encontravam.

29

Reduziu a tempestade a uma brisa e serenou as ondas.

30

As ondas sossegaram, ele se alegraram, e Deus os guiou ao porto almejado.

31

Que eles dêem graças ao Senhor por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens,

32

Que o exaltem na assembléia do povo e o louvem na reunião dos líderes.

33

Ele transforma os rios em deserto e as fontes em terra seca,

34

faz da terra fértil um solo estéril, por causa da maldade dos seus moradores.

35

Transforma o deserto em açudes e a terra ressecada, em fontes.

36

Ali ele assenta os famintos, para fundar uma cidade habitável,

37

semear lavouras, plantar vinhas e colher uma grande safra.

38

Ele os abençoa, e eles se multiplicam; e não deixa que diminuam os seus rebanhos.

39

Quando, porém, reduzidos, são humilhados com opressão, desgraça e tristeza.

40

Deus derrama desprezo sobre os nobres e os faz vagar num deserto sem caminhos.

41

Mas tira os pobres da miséria e aumenta as suas famílias como rebanhos.

42

Os justos vêem tudo isso e se alegram, mas todos os perversos se calam.

43

Reflitam nisso os sábios e considerem a bondade do Senhor.