1

Tem misericórdia de mim, ó Deus, pois os homens me pressionam; o tempo todo me atacam e me oprimem.

2

Os meus inimigos pressionam-me sem parar; muitos atacam-me arrogantemente.

3

Mas eu, quando estiver com medo, confiarei em ti.

4

Em Deus, cuja palavra eu louvo, em Deus eu confio, e não temerei. Que poderá fazer-me o simples mortal?

5

O tempo todo eles distorcem as minhas palavras; estão sempre tramando prejudicar-me.

6

Conspiram, ficam à espreita, vigiam os meus passos, na esperança de tirar-me a vida.

7

Deixarás escapar essa gente tão perversa? Na tua ira, ó Deus, derruba as nações.

8

Registra, tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em teu odre; acaso não estão anotadas em teu livro?

9

Os meus inimigos retrocederão, quando eu clamar por socorro. Com isso saberei que Deus está a meu favor.

10

Confio em Deus, cuja palavra louvo, no Senhor, cuja palavra louvo,

11

nesse Deus eu confio, e não temerei. Que poderá fazer-me o homem?

12

Cumprirei os votos que te fiz, ó Deus; a ti apresentarei minhas ofertas de gratidão.

13

Pois me livraste da morte e os meus pés de tropeçarem, para que eu ande diante de Deus na luz que ilumina os vivos.