1

Ouve-me, ó Deus, quando faço a minha queixa; protege a minha vida do inimigo ameaçador.

2

Defende-me da conspiração dos ímpios e da ruidosa multidão de malfeitores.

3

Eles afiam a língua como espada e apontam como flechas, palavras envenenadas.

4

De onde estão emboscados atiram no homem íntegro; atiram de surpresa, sem qualquer temor.

5

Animam-se uns aos outros com planos malignos, combinam como ocultar as suas armadilhas, e dizem: "Quem as verá? "

6

Tramam a injustiça e dizem: "Fizemos um plano perfeito! " A mente e o coração de cada um deles o encobrem!

7

Mas Deus atirará neles suas flechas; repentinamente serão atingidos.

8

Pelas próprias palavras farão cair uns aos outros; menearão a cabeça e zombarão deles todos os que os virem.

9

Todos os homens temerão, proclamarão as obras de Deus, refletindo no que ele fez.

10

Alegrem-se os justos no Senhor e nele busquem refúgio; congratulem-se todos os retos de coração!