1

Senhor meu Deus, em ti me refugio; salva-me e livra-me de todos os que me perseguem,

2

para que, como leões, não me dilacerem nem me despedacem, sem que ninguém me livre.

3

Senhor meu Deus, se assim procedi, se nas minhas mãos há injustiça,

4

se fiz algum mal a um amigo ou se poupei sem motivo o meu adversário,

5

persiga-me o meu inimigo até me alcançar, no chão me pisoteie e aniquile a minha vida, lançando a minha honra no pó. Pausa

6

Levanta-te, Senhor, na tua ira; ergue-te contra o furor dos meus adversários. Desperta-te, meu Deus! Ordena a justiça!

7

Reúnam-se os povos ao teu redor. Das alturas reina sobre eles.

8

O Senhor é quem julga os povos. Julga-me, Senhor, conforme a minha justiça, conforme a minha integridade.

9

Deus justo, que sondas as mentes e os corações, dá fim à maldade dos ímpios e ao justo dá segurança.

10

O meu escudo está nas mãos de Deus, que salva o reto de coração.

11

Deus é um juiz justo, um Deus que manifesta cada dia o seu furor.

12

Se o homem não se arrepende, Deus afia a sua espada, arma o seu arco e o aponta,

13

prepara as suas armas mortais e faz de suas setas flechas flamejantes.

14

Quem gera a maldade, concebe sofrimento e dá à luz a desilusão.

15

Quem cava um buraco e o aprofunda cairá nessa armadilha que fez.

16

Sua maldade se voltará contra ele; sua violência cairá sobre a sua própria cabeça.

17

Darei graças ao Senhor por sua justiça; Ao nome do Senhor Altíssimo cantarei louvores.