1

Mas Sarai e Abrão não tinham filhos. Então Sarai, pensando que o Senhor a tinha impedido de gerar, chamou uma criada chamada Agar que era egípcia,

2

e deu-a a Abrão como segunda mulher: Se ela tiver filhos serão meus sto aconteceu dez anos depois de Abrão ter chegado pela primeira vez à terra de Canaã.

3

Ele concordou com aquilo, tomou Agar e ela concebeu. A criada, quando viu que ficou grávida, tornou-se muito arrogante para com a sua senhora.

4

Então Sarai disse a Abrão: A culpa disto tudo é tua; dei eu própria a esta rapariga, minha criada, o previlégio de ser tua mulher e agora despreza-me! Que seja o Senhor mesmo a julgar esta questão entre mim e ti!

5

Respondeu-lhe Abrão: Tens toda a liberdade de castigar a mulher com entenderes. Sarai maltratou-a e ela teve de fugir.

6

O anjo do Senhor veio até ela perto do deserto, junto duma fonte, no caminho para Sur:

7

Agar, tu és a criada de Sarai e estás aqui? Donde vens? Para onde vais? Venho fugida da casa de Sarai, a minha senhora, foi a resposta.

8

Volta para a tua senhora; porque hei-de fazer de ti uma grande nação, um povo que se multiplicará de forma incontável. O filho que vais ter chamar-se-á Ismael , pois que o Senhor ouviu-te na tua aflição. Este teu filho há-de vir a ter um carácter agreste, tão livre e indomável como um jumento selvagem! Será contra todos, e toda a gente será contra ele. Mas viverá perto dos que são da sua raça.

9

A partir de então Agar passou a referir-se ao Senhor - que era quem falava com ela - como sendo o Deus que olha por mim. E pensou para si: Na verdade eu vi Deus, mas depois de ele me ter visto primeiro a mim. Mais tarde esse poço ficou a ser chamado o Poço daquele que vive e que me vê. Fica entre Cades e Berede.

10

E assim Agar deu um filho a Abrão, e este chamou-lhe Ismael. Tinha então Abrão a idade de 86 anos.