1

Esta é a visão que Deus revelou a Isaías (filho de Amós) referente à condenação de Babilónia:

2

Levantem uma bandeira sobre o monte pelado. Gritem alto para os que combatem e façam-lhes sinais com as mãos para que marchem sobre Babilónia, entrando pelas portas dos poderosos.

3

Fui eu, o Senhor, quem convocou estes exércitos para uma tal intervenção. Chamei aquelas que se orgulham da sua força para fazer este trabalho, a fim de satisfazer a minha ira.

4

Ouçam todo este tumulto sobre as montanhas! É o tumulto e o clamor de muitas nações.

5

Foi o Senhor dos exércitos celestiais quem os trouxe aqui, vindos de terras distantes. São as suas armas contra ti, ó Babilónia. São os instrumentos que ele usará para destruir toda a tua terra.

6

Grita de terror, porque chegou o tempo do Senhor, a altura em que o poderoso te vai esmagar.

7

Os teus braços descaem paralisados de terror; o coração dos mais valentes desfalece de medo. O pavor aperta-te com terríveis angústias, como uma mulher antes do parto. Olham uns para os outros absolutamente desamparados, enquanto as chamas da cidade a arder se reflectem nas vossas faces empalidecidas.

8

Vejam como o dia do Senhor está a chegar, o terrível dia do seu juízo, da sua tremenda ira. A terra será destruída e com ela todos os pecadores. Os céus tornar-se-ão negros por cima da cidade; luz alguma lhes virá seja do Sol ou da Lua ou das estrelas.

9

Castigarei o mundo pela sua maldade, e o pecador pela sua iniquidade. Esmagarei a arrogância do orgulhoso e a altivez do rico. Poucos sobrevirão após eu ter terminado a minha acção.

10

Os homens tornar-se-ão mais raros do que o ouro - serão mais raros do que o ouro de Ofir.

11

Porque farei abalar os céus com a minha cólera e terrível ira, e até a Terra alterará a sua posição no universo.

12

Os exércitos de Babilónia desgastar-se-ão até ficarem exaustos, batendo em retirada para a sua terra, como uma corça perseguida por cães de caça, ou então vagueando perdidos como ovelhas cujo pastor fugiu.

13

Aqueles que não fugirem serão abatidos. Os seus meninos serão despedaçados contra o chão à vista deles; as suas casas serão saqueadas, e as mulheres violadas pelas hordes atacantes.

14

Incitarei os medos contra Babilónia, e nem prata nem ouro algum os poderá demover dessa acção. Os exércitos atacantes não terão compaixão nem dos jovens, nem das crianças, nem dos bebés de Babilónia.

15

Então Babilónia, o mais glorioso dos reinos, a flor da cultura da Caldeia, será destruída tão completamente como o foram Sodoma e Gomorra, as cidades sobre as quais Deus mandou fogo do céu.

16

Nunca mais será reconstruída e habitada. Novas gerações se sucederão umas às outras, mas naquela terra nunca mais viverá ninguém. Nem sequer os nómadas ali acamparão, nem os pastores deixarão os rebanhos lá passar a noite.

17

Os animais selvagens feitos à vida nos desertos, esses sim, habitarão naquele sítio. As suas ruínas ficarão cheias de animais horríveis. Viverão ali avestruzes, e virão demónios para lá dançar. Hienas e chacais farão dos seus palácios tocas. Os dias de Babilónia estão contados. A hora da sua condenação chegará em breve.