1

Recebe a minha oração como o fumo do incenso que sobe na tua presença; e o levantar das minhas mãos, como um sacrifício da tarde.

2

Põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca, uma sentinela aos meus lábios.

3

Não deixes que o meu coração se incline para o mal, que se ocupe de coisas más, que se junte com os que praticam a maldade, participando nos seus gozos e desmandos.

4

Os juízes deles ouvirão as minhas palavras e saberão que elas são bem intencionadas,

5

quando os seus ossos forem espalhados pelo chão, como quando se lavra a terra, a sepultura os receberá.

6

Guarda-me das ciladas que me armam, das ratoeiras que me põe no caminho, essa gente que pratica a iniquidade.

7

Que sejam eles próprios a cair nas armadilhas que me preparam, e que eu fique inteiramente livre deles!