1

Tiago, ao serviço de Deus e do Senhor Jesus Cristo, saúda todo o povo de Deus disperso por todo o mundo.

2

Meus irmãos, considerem-se felizes quando tiverem de passar por provações.

3

Porque se a vossa fé for posta à prova, tornar-se-á mais perseverante

4

Que ela resista pois até ao fim, e assim a vossa formação se completará, com uma conduta íntegra, e serão maduros espiritualmente.

5

E se alguém tem falta da sabedoria necessária, peça-a a Deus, que está sempre pronto a dar generosamente sem a menor censura, e lhe será dada

6

Mas que esse pedido a Deus seja feito com fé, na certeza da resposta. Porque quem se dirige a Deus com dúvidas é semelhante às ondas do mar, levadas pelos ventos, lançadas de uma para outra parte.

7

Uma pessoa assim é indecisa, instável, torna-se inconstante em todos os seus actos. Não pense, por isso, que receberá alguma coisa do Senhor.

8

Quanto aos crentes de condição social mais humilde, sintam-se contentes porque Deus os tem exaltado.

9

E, por outro lado, que o rico se sinta animado quando o Senhor o reduz à sua justa condição humana. Pois ele passará como a flor do campo:

10

quando o Sol aquece com força, ela seca, cai, desaparece a sua beleza. Assim é com os ricos no seu luxo.

11

Feliz aquele que resiste à prova, porque depois receberá a coroa da vida, que o Senhor promete aos que o amam.

12

Que ninguém, em presença da tentação, diga que é Deus quem o está a tentar. Porque Deus não está sujeito à acção do mal, e por isso também nunca poderia tentar ninguém a praticá-lo.

13

O que acontece é que, quando uma pessoa é tentada, são os seus próprios desejos maus que a seduzem.

14

Depois, essa maldade, se lhe cedemos, dá nascimento ao pecado; e este, por sua vez, provoca a morte.

15

Portanto, não se deixem enganar, queridos irmãos.

16

É de Deus que nos vem tudo o que possa haver de bom e de perfeito, ele que é o Criador de toda a luz. Nele não há sombra, nem mudança.

17

E foi num acto de sua vontade que ele nos fez renascer, por meio da palavra da verdade, e nos tornámos os primeiros frutos da sua nova criação.

18

Saibam isto, irmãos: é melhor ouvir muito e falar pouco. E também ser lento em se irritar.

19

Porque não é com zanga que se cumpre a justiça de Deus.

20

Por isso, desembaracem-se de tudo o que é sujo e mau, e recebam com um espírito dócil a palavra que foi semeada nos vossos corações e que pode salvar as vossas almas.

21

A questão é que cumpram efectivamente o que essa palavra vos diz, e que não se limitem a ouvir. Porque, se não, correm o risco de se iludirem.

22

Porque quem se contenta com ouvir a palavra de Deus, e não procura pô-la em acção, é como alguém que se observa a um espelho e

23

logo se afasta, esquecendo-se de como estava.

24

Aquele, porém, que presta uma atenção cuidadosa à lei perfeita de Deus, que nos torna livres, não sendo ouvinte que facilmente esquece, mas que cumpre o que ela lhe diz, esse tal terá a bênção de Deus em tudo.

25

Se alguém diz ser religioso e afinal não é capaz de travar a sua língua, engana-se a si mesmo; a sua religião não vale nada.

26

Mas a verdadeira religião, aos olhos de Deus, pura e sem falhas, consiste em amparar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações. Consiste também em não se deixar influenciar pela corrupção do mundo.