1

Eis que Jeová despejará a terra e a esvaziará e a transtornará, e espalhará os seus habitantes.

2

Assim como suceder ao povo, assim sucederá ao sacerdote; como ao servo, assim ao seu senhor; como à serva, assim a sua senhora; como ao comprador, assim ao vendedor; como ao que empresta, assim ao que toma emprestado; como ao credor, assim ao devedor

3

A terra será de todo despejada e de todo saqueada, porque Jeová proferiu esta palavra.

4

A terra pranteia e se murcha, o mundo enfraquece e se murcha: enfraquecem os mais altos da terra.

5

Também a terra está contaminada debaixo dos seus habitantes porque transgrediram as leis, mudaram a ordenança e romperam a aliança sempiterna.

6

Por isso a maldição tem devorado a terra, e os que nela habitam são tidos por culpados; por isso são queimados os habitantes da terra, e ficam de resto poucos homens.

7

O mosto pranteia, a vide enfraquece, todos os alegres de coração gemem.

8

Cessa a alegria dos tambores, acaba a algazarra dos que exultam, cessa a alegria da harpa.

9

Não beberão vinho cantando árias; a bebida forte será amarga para os que a beberem.

10

Demolida está a cidade de caos: fechada está toda a casa, de modo que não se pode entrar.

11

Há um lamento nos campos por causa do vinho; já escureceu toda a alegria, já se foi o prazer da terra.

12

A desolação reina na cidade, e a porta está reduzida a ruínas.

13

Pois assim será no meio da terra entre os povos, como ao varejar de oliveira, como ao rebuscar uvas, quando está acabada a víndima.

14

Estes levantarão a sua voz, darão gritos; por causa da majestade de Jeová clamarão desde o mar em altas vozes.

15

Pelo que glorificai no oriente a Jeová, ao nome de Jeová, Deus de Israel, nas ilhas do mar.

16

Desde as extremidades da terra temos ouvido cânticos, louvores ao justo. Porém eu disse: Desgraçado de mim! desgraçado de mim! ai de mim! os prevaricadores têm prevaricado, sim os prevaricadores têm prevaricado excessivamente.

17

O pavor, e a cova, e o laço estão para cair sobre ti, morador da terra.

18

Aquele que fugir da voz do pavor, cairá na cova; e o que subir do meio da cova, ficará preso no laço; porque as janelas lá do alto já se abriram, e os fundamentos da terra tremem.

19

A terra está de todo despedaçada, a terra está de todo esmigalhada, a terra está de todo abalada.

20

A terra cambaleará como um bêbado, e balanceará como uma rede de dormir; sobre ela será pesada a sua transgressão; ela cairá e não se levantará.

21

Naquele dia Jeová castigará o exército dos altos nas alturas, e os reis da terra sobre a terra.

22

Serão ajuntados, como presos são ajuntados na cova, serão encarcerados na prisão, e depois de muitos dias serão visitados.

23

Então a lua se confundirá e o sol se envergonhará, porque Jeová dos exércitos reinará no monte de Sião, e em Jerusalém, e na presença dos seus anciãos haverá glória.