1

Em Jeová me refugiei; Como dizeis à minha alma: Fugi, qual pássaro, para o vosso monte?

2

Pois eis que os iníquos armam o arco; Ajustam a sua seta na corda, Para dispararem do escuro contra os de reto coração.

3

Quando os fundamentos forem destruídos, Que poderá fazer o justo?

4

Jeová está no seu santo templo, Jeová tem no céu o seu trono: Os seus olhos contemplam, as suas pálpebras sondam os filhos dos homens.

5

Jeová prova ao justo, Mas ao iníquo e ao que ama a violência, a sua alma os aborrece.

6

Fará chover laços sobre os iníquos: Fogo, enxofre e vento abrasador serão o quinhão do seu copo.

7

Pois Jeová é justo; ele ama a justiça; Os retos verão a seu rosto.