1

Quando eu clamar, responde-me, Deus da minha justiça; (Na angústia tens-me dado folga); Compadece-te de mim e ouve a minha oração.

2

Até quando, varões ilustres, tornareis a minha glória em desonra? Amareis a vaidade, buscareis a mentira? (Selá)

3

Sabei, porém, que Jeová distingue aquele que é piedoso; Jeová ouvirá, quando eu clamar a ele.

4

Tremei, e não pequeis; Consultai no leito com o vosso coração e sossegai. (Selá)

5

Oferecei sacrifícios de justiça, E confiai em Jeová.

6

Muitos há que dizem: Quem nos mostrará algum bem? Levanta, Jeová, sobre nós a luz do teu rosto.

7

Puseste no meu coração mais alegria Que a deles, quando o trigo e o mosto lhes abundam.

8

Em paz me deitarei e dormirei num instante, Porque só tu, Jeová, fazes que eu habite em segurança.