1

De boas palavras trasborda o meu coração: Repito o que compus no tocante a um rei: A minha língua é pena de escritor expedito.

2

Tu és mais formoso do que os filhos dos homens; Sobre os teus lábios está derramada a graça: Por isso Deus te abençoou para sempre.

3

Cinge a tua espada, ó grande herói, Cinge a tua glória e a tua majestade.

4

Na tua majestade monta prosperamente Pela causa da verdade, da mansidão e da justiça, E a tua destra te ensinará coisas terríveis.

5

As tuas setas são agudas (Os povos caem debaixo de ti) No coração dos inimigos do rei.

6

O teu trono, ó Deus, é pelos séculos dos séculos; E cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.

7

Amaste a justiça, e odiaste a iniqüidade; Portanto Deus, o teu Deus, te ungiu Com o óleo de alegria acima dos teus companheiros.

8

Todas as tuas vestes cheiram à mirra, aloés e cássia; De palácios de marfim soam instrumentos de cordas que te alegram.

9

Filhas de reis estão em o número das tuas queridas; À tua mão direita está a rainha, ataviada de ouro de Ofir.

10

Ouve, filha, considera e inclina o teu ouvido, Esquece-te do teu povo e da casa de teu pai;

11

Assim o rei desejará a tua formosura; Pois ele é o teu Senhor; presta-lhe tu homenagem.

12

A ti virá com donativos a filha de Tiro; Os mais ricos do povo suplicarão o teu favor.

13

Toda esplêndida está a filha do rei lá dentro do palácio; A sua vestidura é recamada de ouro.

14

Em vestidos bordados é ela conduzida ao rei; As virgens, suas companheiras que a seguem, Serão trazidas à tua presença.

15

Serão conduzidas com alegria e regozijo; Entrarão no palácio do rei.

16

Em lugar de teus pais serão teus filhos, A quem farás príncipes por toda a terra.

17

Farei que seja lembrado o teu nome em todas as gerações, Porquanto te darão graças os povos para todo o sempre.