1

Jeová, não me repreendas na tua ira, Nem me castigues no teu furor.

2

Compadece-te de mim, Jeová, porque eu me sinto abatido; Sara-me, Jeová, porque os meus ossos estão perturbados.

3

A minha alma está também em extremo perturbada; Mas tu, Jeová, até quando?

4

Volta-te, Jeová, livra a minha alma: Salva-me por amor da tua bondade.

5

Pois na morte não há recordação de ti, No Cheol quem te dará louvor?

6

Estou cansado do meu gemido; Todas as noites faço nadar a minha cama; Inundo de lágrimas o meu leito.

7

A minha vista de mágoa desfalece, Tem-se envelhecido por causa de todos os meus adversários.

8

Apartai-vos de mim, todos os que obrais a iniqüidade, Porque Jeová já ouviu a voz do meu pranto.

9

Jeová já ouviu a minha súplica, Jeová receberá a minha oração.

10

Todos os meus inimigos serão envergonhados e em extremo perturbados; Tornarão atrás, e serão envergonhados num momento.