1

O ímpio foge sem que ninguém o persiga, mas o justo sente-se seguro como um leão.

2

Por causa do pecado de um país, multiplicam-se os chefes, mas sob um homem sábio e sensato [a ordem] perdura.

3

Um pobre que oprime miseráveis é qual chuva torrencial, causa de fome.

4

Quem abandona a instrução, louva o ímpio; quem a observa, faz-lhe guerra.

5

Os homens maus não compreendem o que é justo; os que buscam o Senhor tudo entendem.

6

Mais vale um pobre que caminha na integridade do que um rico em caminhos tortuosos.

7

Um filho inteligente segue a instrução; quem convive com os devassos, torna-se a vergonha de seu pai.

8

Quem aumenta sua fortuna por usuras e logro, ajunta para o que tem piedade dos pequenos.

9

Aquele que afasta o ouvido para não ouvir a instrução, até em sua oração é um objeto de horror.

10

Quem seduz os homens corretos para um mau caminho, cairá no fosso que ele mesmo cavou e para os íntegros caberá a herança da felicidade.

11

O rico julga-se sábio, mas o pobre inteligente penetra-o a fundo.

12

Quando os justos triunfam, há muita alegria; quando os ímpios se erguem, cada qual se esconde.

13

Quem dissimula suas faltas, não há de prosperar; quem as confessa e as detesta, obtém misericórdia.

14

Feliz daquele que vive em temor contínuo; mas o que endurece seu coração, cairá na desgraça.

15

Leão rugidor, urso esfaimado: tal é o ímpio que domina sobre um povo pobre.

16

Um príncipe, destituído de senso, é rico em extorsões, mas o que odeia o lucro viverá longos dias.

17

O homem sobre o qual pesa o sangue de outro fugirá até o fosso: não o retenhas.

18

O que caminha na integridade, será salvo; quem seguir por caminhos tortuosos cairá no fosso.

19

O que cultiva seu solo, terá pão à vontade; o que corre atrás das vaidades fartar-se-á de miséria.

20

O homem leal será cumulado de bênçãos; o que, porém, tem pressa de se enriquecer, não ficará impune.

21

Não é bom mostrar-se parcial: há quem cometa este pecado por um pedaço de pão.

22

O homem invejoso precipita-se atrás da fortuna: não sabe que vai cair sobre ele a indigência.

23

Quem corrige alguém, encontra no fim mais gratidão do que lisonjas.

24

Quem furta de seu pai ou de sua mãe, dizendo: Isto não é pecado!, é colega do bandoleiro.

25

O homem cobiçoso provoca contendas, mas o que se fia no Senhor, será saciado.

26

O que se fia em seu próprio coração, é um tolo; quem caminha com sabedoria, escapará do perigo.

27

O que dá ao pobre, não padecerá penúria, mas quem fecha os olhos ficará cheio de maldições.

28

Quando se erguem os ímpios, cada qual se oculta; quando eles perecem, multiplicam-se os justos.