1

Cântico. Salmo de Asaf

2

Senhor, não fiqueis silencioso, não permaneçais surdo, nem insensível, ó Deus.

3

Porque eis que se tumultuam vossos inimigos, levantam a cabeça aqueles que vos odeiam.

4

Urdem tramas para o vosso povo, conspiram contra vossos protegidos.

5

Vinde, dizem eles, exterminemo-lo dentre os povos, desapareça a própria lembrança do nome de Israel.

6

Com efeito, eles conspiram de comum acordo e contra vós fazem coalizão:

7

os nômades de Edom e os ismaelitas, Moab e os agarenos,

8

Gebal, Amon e Amalec, a Filistéia com as gentes de Tiro.

9

Também os assírios a eles se uniram, e aos filhos de Lot ofereceram a sua força.

10

Tratai-os como Madiã e Sísara, e Jabin junto à torrente de Cison!

11

Eles pereceram todos em Endor e serviram de adubo para a terra.

12

Tratai seus chefes como Oreb e Zeb; como Zebéia e Sálmana, seus príncipes,

13

que disseram: Tomemos posse das terras onde Deus reside.

14

Ó meu Deus, fazei deles como folhas que o turbilhão revolve, como a palha carregada pelo vento,

15

Como o fogo que devora a mata, como a labareda que incendeia os montes;

16

Persegui-os com a vossa tempestade, apavorai-os com o vosso furacão.

17

Cobri-lhes a face da ignomínia, para que, vencidos, busquem, Senhor, o vosso nome.

18

Enchei-os de vergonha e de humilhação eternas, que eles pereçam confundidos.

19

E que reconheçam que só vós, cujo nome é Senhor, sois o Altíssimo sobre toda a terra.